Onde Comer, Onde Comer, USA

Desmistificando a alimentação nos Estados Unidos: só come mal quem quer

Aqui no blog, nós já falamos de hamburger, comida italiana, macarons e de arroz e feijão mexicanos (e você pode vê-los aqui). Claro, com mais ênfase no primeiro, porque é o que mais gostamos.

Olá Hamburger!
Olá Hamburger!

Mas, uma coisa que sempre chamou a nossa atenção, quando contamos pros amigos que íriamos mudar pra cá a primeira reação de quase todos foi: Nossa, mas vocês estão preparados para só comer porcaria lá? 

Atentem pra coxinha a venda na estação do metrô.
Atentem pra coxinha a venda na estação do metrô.

Então, depois de algumas visitas, e de agora fixarmos residência aqui, podemos afirmar: só come mal quem quer (ou é preguiçoso).

Desmistificando

– Sobre compras de supermercado:

Primeiro de tudo, tudo que há no Brasil, há aqui. Claro, que eu já começo generalizando também, falo especificamente das maiores cidades. Acredito que se você vai pra Ann Arbor, lá em Michigan ou pra Boise em Idaho, algumas coisas ficam mais difíceis. Mas se não tem imediatamente, dá pra mandar trazer ou comprar online (olá, Amazon), como é o caso de pinhão, mandioca e pão de queijo.

O melhor sanduíche de Ann Arbor: Zingerman's Reuben
O melhor sanduíche de Ann Arbor: Zingerman’s Reuben

Hoje em dia, há a febre dos produtos orgânicos e sem gordura, então em todo supermercado há várias sessões dedicadas a eles.

Mas se você é como eu e não liga pra essas modinhas, saiba que vai fazer um rancho bem maior aqui e pagando bem menos do que no Brasil.

Orgânicos, sem transgênicos e custando uma fortuna.
Orgânicos, sem transgênicos e custando uma fortuna.

Todo mundo diz que acha bizarro que aqui as coisas são vendidas em modo gigante. Eu já acho prático. Afinal, te poupa de ir no super várias vezes e sai mais barato do que comprar em pequenas quantidades.

– Comer na rua:

Sobre restaurantes: eu entendo que pra um turista é muito mais fácil, barato e divertido entrar num fast food como McDonald’s, Burger King, Wendy’s e o Five Guys. Mas há também os contrapontos como o Chipotle, Q’doba, Quiznos e Subway. Com comida menos gordurosa, opções de saladas, etc.

Delicia Tex-Mex do Chipotle
Delicia Tex-Mex do Chipotle

Nem vou entrar na seara do restaurantes caros, acima de 15 dólares por pessoa. É claro que por mais dinheiro, você vai acabar comendo algo que, em tese, deveria ser mais saudável (ou não). Os exemplos dessa categoria são Olive Garden, Cheesecake Factory e Outback. Servem carnes com verduras, frutos do mar, grelhados…

Sopinha do Olive Garden
Sopinha do Olive Garden

Mas vou dar a dica: quase todo supermercado de nome tem um buffet com arroz, massa, carne e salada. Só pra citar alguns aqui das nossas bandas: Wegmans, Whole Foods, Roche Bros, Stop and Shop e Walmart. Geralmente, o preço corre entre 8 a 15 dólares por pound/libra (cerca de meio kilo). E a comida não perde em nada para um restaurante.

Buffet/Hot Bar do Roches Bros
Buffet/Hot Bar do Roches Bros

Outra coisa que vale falar é sobre food trucks. Mas espere, aqui não é como no Brasil. A comida da maioria dos food trucks é sim gourmetizada, mas diferente do Brasil, os preços são módicos, afinal os custos são módicos. Não faz sentido ter um food truck e comprar 30 pila num prato de arroz pilaf e kofta kebab. Em NYC, há o The Halal Guys, aqui em Boston, há o Chicken & Rice Guys. Comida simples, sincera e barata. E que não pinga gordura (afinal, é arroz, frango e salada).

Chicken & Rice Guys. A foto é deles mas posso dizer que é bom!
Chicken & Rice Guys. A foto é deles mas posso dizer que é bom!
The Falafel King
The Falafel King

A cultura americana

Percebo, pelos menus dos restaurantes, que a grande maioria dos pratos é carne com algum vegetal ou pasta com carne.

Pasta com frango da Cheesecake Factory
Pasta com frango e camarão da Cheesecake Factory

E se é assim, acredito que é devido à demanda. Ou pode ser uma generalização minha.

No almoço, vejo muita gente comendo só sanduíche natural, sopa e/ou algo trazido de casa. Nos mercados, muitas pessoas compram saladas prontas ou ainda combinados de sushi. Sendo assim, quem tem opções baratas perto do trabalho, come algo mais substancial. Se não, fazem uma pequena refeição e é isso! No nosso caso, gostamos de ir ao Roche Bros em Downtown, pois fica do lado da nossa atividade diária e oferece um buffet de pratos quentes e frios, que se assemelha aos restaurantes do Brasil.

Muita salada no Roches Bros
Muita salada no Roche Bros

Para os americanos, duas refeições são importantes: o café da manhã e o jantar. A primeira bem reforçada pela manhã, e a outra já mais leve e realizada mais cedo que no Brasil. Geralmente em torno de 18h30 e 19h é o horário do jantar aqui.

Vida de café da manhã!
Vida de café da manhã!

E pra finalizar, temos comido melhor aqui do que comíamos lá. Simplesmente por ter mais opcões e variedades. E pagando bem menos. Ou mais, como é o caso da banana. Azar da Luciane!

All you can eat sushi! Pepino pra dar e vender...
All you can eat sushi! Pepino pra dar e vender…

E para você, qual a sua opinião sobre o assunto? Comente aqui embaixo!

Fotógrafo, barbudo, viciado na Craigslist e wikipedia ambulante.