Outras Cidades de Massachusetts

Esquiando nas proximidades de Boston – Wachusett Mountain

Wachusett vista de longe

Atenção! Antes de mais nada, preciso dizer que esse post foi escrito por uma pessoa que esquiou uma vez na vida. Antes, o máximo que eu sabia sobre esqui era isso. #Piadinha #EntregandoaIdade Portanto, não se apeguem à falta de detalhes sobre o esporte, e sim à experiência turística que vou relatar 🙂

Pronto, podemos começar agora.

Se você gosta de esquiar ou nunca esquiou, e vai estar em Boston nos meses de inverno, certamente vai se animar com a ideia de ir à Wachusett Mountain. Uma área de esqui localizada há mais ou menos 1 hora de Boston, na divisa das cidades de Princeton e Westminster.

A montanha é o ponto mais alto do estado de Massachusetts, com 612 metros de altura. É um destino turístico bem procurado, recebendo 600 mil visitantes por ano. A temporada de esqui, contudo, vai do final de novembro até o início de abril.

Nesse período, são várias modalidades de ingressos para acessar o ski resort. Nós compramos o pacote de um dia (One day package), por $99 dólares por pessoa, que inclui aula com instrutor (nível iniciante), aluguel dos equipamentos (ski, bota e bastão) e o bilhete de acesso ao elevador da Lower Mountain (pistas verdes – falarei mais pra frente).

Galera se preparando para a aula de iniciantes.
Galera se preparando para a aula de iniciantes.

Se você já tem alguma experiência, pode optar pelo pacote de um dia “Return-To-Learn” (voltando a aprender). São $120 dólares, sendo que a aula vai até o nível intermediário e você pode acessar todos os lifts (teleféricos). Por fim, há ainda o pacote de três dias, por $199, quando teoricamente você consegue chegar ao nível avançado nas aulas. Mas para isso, você provavelmente vai ter que se hospedar na região.

Eu sentada porque antes mesmo de começar, já estava cansada.
Eu sentada porque antes mesmo de começar, já estava cansada.

Quem já é “profissa”, já tem seus próprios equipamentos e não precisa de instrutor, paga um valor entre $15-20, apenas para desfrutar do dia na montanha, usando todas as pistas e lifts disponíveis.

Algumas pessoas, principalmente os moradores das cidades vizinhas, já vão para a Mountain com seus próprios equipamentos de esqui ou snowboard. Isso faz com que o passeio fique bem mais barato.
Algumas pessoas, principalmente os moradores das cidades vizinhas, já vão para a Mountain com seus próprios equipamentos de esqui ou snowboard. Isso faz com que o passeio fique bem mais barato.

O ski resort dispõe de 25 pistas, variando em dificuldade das mais fáceis (em verde), intermediárias (azuis), até as mais difíceis (chamadas de diamante negro – em preto). Apenas como curiosidade: 30% do espaço “esquiável” da montanha é destinado para iniciantes, 40% para intermediários e 30% para os atletas avançados.

Trail map: Mapa das pistas de esqui.
Trail map: Mapa das pistas de esqui.

As aulas para iniciantes acontecem na Ollie’s Area, do lado direito do mapa. Não dá nem para dizer que é uma pista, está mais para uma lombadinha, hehehe! Um instrutor com cerca de 8 alunos, vai ensinando como colocar e tirar o esqui, como acelerar e freiar, fazer curvas, etc, coisas básicas para quem é realmente iniciante. Depois você começa a subir pelo carpet (esteira rolante – em vermelho no mapa) e descer nessa pequena colina, para treinar o que aprendeu. Quando você deixar de cair e se mostrar confiante, o instrutor te libera para ir se divertir sozinho. Isso pode levar de 1h à 2h.

A Ollie's Area: fila para subir na esteira e descer com ajuda do instrutor.
A Ollie’s Area: fila para subir na esteira e descer com ajuda do instrutor.
Nosso grupo com a instrutora (de verde) que era um poço de paciência e simpatia! Fique tranquilo: mesmo que seja seu primeiro contato com o esporte, terá todo o apoio para aproveitar ao máximo.
Nosso grupo com a instrutora (de verde) que era um poço de paciência e simpatia! Fique tranquilo: mesmo que seja seu primeiro contato com o esporte, terá todo o apoio para aproveitar ao máximo.

Como disse, o passe de iniciante dá direito à utilizar as pistas verdes. Nós começamos na Easy Rider. Uma esteira rolante leva até o topo dessa pequena colina e você pode subir e descer quantas vezes quiser.

Esteira rolante da Easy Rider. Não precisa fazer esforço para subir.
Esteira rolante da Easy Rider. Não precisa fazer esforço para subir.
Mais uma da esteira (eles chamam de carpet).
Mais uma da esteira (eles chamam de carpet).
Do alto da Easy Rider (pista para iniciantes).
Do alto da Easy Rider (pista para iniciantes).
Otávio todo sabidão, mostrando que praticamente nasceu com o esqui nos pés.
Otávio todo sabidão, mostrando que praticamente nasceu com o esqui nos pés.

No fim do dia, já estava ficando sem graça e resolvemos arriscar na Sundowner e Indian Summer. Queríamos ir embora com aquele orgulhinho “uau, somos quase profissionais”. Há! Ledo engano (pelo menos pra mim). Nessas duas pistas, a subida é feita por teleférico (no mapa chamado de Express Quad). São cadeirinhas para 3 ou 4 pessoas, que levam ao topo da montanha e te soltam lá. A subida é linda e romântica. Mas aí, o único meio de descer lá do alto é esquiando.

Do alto da Indian Summer. Já era tarde para desistir...
Do alto da Indian Summer. Já era tarde para desistir…

Bom, eu desci apenas uma vez. A pista é bem longa, e quanto mais longa, mais velocidade você pega. E, ninguém tinha me avisado que ela tem obstáculos, rampas e trocentas “lombadas”/elevações na neve. Resultado: desci metade do trajeto esquiando e outra metade rolando. Rolando de uma maneira fenomenal. Nessa altura do dia já estava muito cansada, e o esqui exige muita força nas pernas para freiar e manter-se firme em pé. O que não foi possível de realizar naquele momento, hehehe…

Enfim, depois disso, Otávio e nossos amigos continuaram a subir e descer, mas eu preferi aguardá-los na base da montanha.

Sentadinha só olhando o movimento.
Sentadinha só olhando o movimento.
Uma coisa legal da Wachusett, é que ela é uma das poucos pistas de esqui que funcionam à noite. Fica aberta até às 22h.
Uma coisa legal da Wachusett, é que ela é uma das poucos pistas de esqui que funcionam à noite. Fica aberta até às 22h.

Na base da montanha, temos toda infra-estrutura para um dia tranquilo. Há um grande prédio chamado Base Lodge, com 5.000 m2, onde encontram-se banheiros, armários com chave para guardar itens pessoais, cafetaria, bares, restaurantes, salas de descanso e até suítes privadas, que estão disponíveis para locação diária. Nós usamos o Logde apenas na chegada, para pegar os equipamentos e guardar nossas coisas, na hora do almoço para obviamente comer algo e na saída. Tudo é extremamente organizado, e mesmo estando cheio de gente, conseguimos nos locomover facilmente e aproveitar todo o tempo livre na neve.

Um pedacinho (à direita) do Base Lodge.
Um pedacinho (à direita) do Base Lodge.

Para chegar na Wachusett Mountain, você pode pegar o commuter rail (trem), linha 433 – Fitchburg, saindo da North Station, em Boston. A passagem até a última parada, onde você deverá saltar, custa $10.50. Dali, são mais 15 minutos de táxi até a base da montanha (horários aqui).

Contudo, eu recomendo alugar um carro. Por motivos de: tempo, dinheiro e conforto. O trem leva cerca de 1h40min até a cidade de Fitchburg, e ainda há o táxi. De carro, são 60 minutos para já estar no estacionamento da Wachusett. Para quem só tem um dia para desfrutar da neve, faz bastante diferença. Além disso, uma diária para aluguel de carro pode sair uns 60 dólares, e se você estiver com família ou amigos, com certeza o carro vai sair mais barato que várias passagens de trem (ida e volta) e o taxi para chegar à montanha. Por fim, por experiência própria, digo que vocês sairão muito muito muito cansados e doloridos de lá, e vai ser meio frustrante ter que esperar táxi, trem, etc.

Alugando um carro, se ele tiver GPS, adicione o endereço: 41 Mile Hill Road, Westminster, MA 01473. Dá para usar também o Google Maps no celular.

Então é isso! Espero ter aguçado em alguns a vontade de esquiar. Recomendo e acredito ser uma atração indispensável para os visitantes de Massachusetts no inverno. Eu não vejo a hora de voltar e concluir uma pista mais longa sem nenhum tombo! Cenas para um próximo post.

Administradora, eterna estudante, cozinheira nas horas vagas e viciada em maquiagem.