Boston

Guia de Boston bairro a bairro

A maioria de vocês já sabe, mas não custa citar: Boston fica na região nordeste dos Estados Unidos, chamada de Nova Inglaterra.

Nova Inglaterra em vermelho
Nova Inglaterra em vermelho

É a capital do Estado de Massachusetts e a maior cidade de toda a Nova Inglaterra.

Mapa de Massachusetts
Mapa de Massachusetts

Boston tem quase 618 mil moradores, que se espalham por 23 bairros (aqui chamados de neighborhoods). Nesse guia, vamos apresentar cada uma dessas neighborhoods, pois toda semana pessoas entram em contato conosco perguntando os melhores bairros pra se hospedar ou até pra morar. Fatores como preço, proximidade das atrações ou dos compromissos (trabalho, curso de inglês) e até a existência de transporte público eficiente devem ser levados em conta nessa hora. E quando não conhecemos muito bem a cidade, fica bem mais difícil encontrar essas informações.

Por isso, fizemos esse resumão pra vocês e esperamos de verdade que ajude todos aqueles que vêm pra Boston, pra passear, pra estudar ou pra firmar residência!

Os 23 bairros de Boston
Os 23 bairros de Boston

E antes que perguntem, essa separação em 23 bairros é a oficial, que consta nos registros da Prefeitura. Mas como alguns deles são muito grandes, existem divisões chamadas de subdistritos (são 84 no total). O South End, por exemplo, tem uma área menor chamada de SoWa (já falamos dele aqui). Por isso, se você já viu alguma outra denominação, não precisa pensar que foi erro de alguém. É só uma área dentro de um desses bairros que tem um nome próprio. Aqui, focaremos nos bairros.

Então vamos lá!

Região Central

Vou começar com o que eu chamo de região central – o Centro propriamente dito e os bairros adjacentes a ele. Nessa área se concentra boa parte do comércio e das atrações turísticas de Boston. Os links ao longo do texto são de posts que já escrevemos sobre cada atração 🙂

Downtown/Centro

É o centro financeiro, de negócios e de compras em Boston. Lá fica o prédio da Prefeitura e a maior parte dos arranha-céus que compõem o skyline de Boston. Também lugar dos dois mais conhecidos parques públicos da cidade: o Boston Common e o Public Garden.

Prefeitura de Boston
Prefeitura de Boston
Boston Public Garden
Boston Public Garden
Skyline visto do Fan Pier Park
Skyline visto do Fan Pier Park

Downtown oferece uma grande variedade de lojas: a maioria das lojas de departamento (como a Macy’s, a Marshalls e a TJ Maxx) e das grandes redes de fast fashion (como H&M, Forever 21 e Primark) estão presentes no calçadão de Downtown Crossing. Além disso, é pelas ruas de Downtown que corre o Freedom Trail, um caminho de tijolinhos no chão que guia os turistas por 16 pontos históricos da cidade (passeio que tem que fazer!).

Além de tudo isso, em Downtown ainda encontramos alguns dos teatros que compõem a Broadway de Boston. Já falamos da nossa experiência na Charles Playhouse e sempre postamos tudo que está em cartaz na Agenda Semanal. Sem contar na variedade extensa de cinemas.

A humilde mas presente Broadway de Boston
A humilde mas presente Broadway de Boston

Outras atrações e pontos interessantes da região são: Faneuil Hall (mercadão histórico cheio de lojas e restaurantes ótimos!); New England Aquarium (o aquário de Boston); South Station (estação de trem e ônibus, por onde chegam as pessoas que vêm de áreas ao sul de Boston – New York por exemplo), parque GreenwayBoston Public Market (um mercado público mais novo e moderninho, com aparência industrial – e que serve vários tipos de comida); o Boston Harbor (região portuária que foi revitalizada, tendo hoje um passeio à beira-mar e de onde partem passeios marítimos pela costa – já filmamos um, veja aqui) e, por fim, o restaurante histórico e classudo Union Oyster House.

Todas as linhas do metrô (chamado de T) e do Commuter Rail (linha roxa) convergem para Downtown, então transporte público é o que não falta por aqui.

North End

O histórico North End é coladinho em Downtown, sendo o reduto dos imigrantes italianos. Lá, estão os melhores restaurantes de massas, pizzarias e confeitarias italianas da cidade (amor eterno por cannoli!). North End é tão especial que já escrevemos um post todinho sobre ele, mostrando seus principais pontos turísticos (e o cannoli, claro), veja aqui!

Bem-vindo ao North End
Bem-vindo ao North End
A arquitetura do North End é linda
A arquitetura do North End é linda
Pelas ruas de North End
Pelas ruas de North End

Lá ocorre, em agosto, a Festa de Santo Antônio, que lembra bastante as festas religiosas do Brasil: com procissão, missa e barracas de comida (desculpa, mas pra mim é a melhor parte!). Tá tudo registrado aqui.

Por fim, em North End também está o Christopher Columbus Park, uma área verde à beira-mar, ótima para fazer pic-nic e para ver os fogos de ano novo.

Não há um metrô que atenda North End especificamente, mas por ser coladinho em Downtown, dá pra usar tranquilamente as linhas laranja, verde ou azul do metrô. De ônibus, a linha 4 costeia toda a parte litorânea do bairro.

Chinatown

Chinatown é um dos bairros mais densamente povoados em Boston (coincidência, será?). Moradores e turistas são atraídos para lá em virtude da grande variedade de restaurantes e confeitarias de origem asiática, tem de tudo: comida japonesa, chinesa, coreana, vietnamita. A maior parte do comércio típico fica entre a Beach e a Kneeland Street. Mostramos mais desse bairro aqui.

Vale dizer que a Chinatown de Boston é mais focada na gastronomia, não tendo quase nada de lojas de lembrancinhas ou quinquilharias vindas da China.

Portão de Chinatown
Portão de Chinatown

Lá também fica o Tufts Medical Center (não que seja uma atração turística, mas é que esse hospital ocupa quase metade da área de Chinatown) e o início do parque linear Rose Kennedy Greenway (que nós adoramos!).

Chinatown tem sua própria estação de metrô, por onde passam a linha laranja e a Silver Line (ônibus de superfície). Mas também fica perto da linha verde e vermelha, estando na lista dos bairros mais bem atendidos em termos de transporte público.

West End

O West End foi uma região que começou a se desenvolver na década de 1950, por isso é bastante moderna se comparada com outras áreas centrais de Boston. Lá, entre as principais atrações, está o TD Garden, arena do Boston Celtics (basquete) e do Boston Bruins (hóquei no gelo).

A segunda parada obrigatória no West End é o Science Park, aterro onde fica o Museu de Ciência de Boston.

Museum of Science
Museum of Science

Também no bairro temos a ponte estaiada Leonard Zakim, que leva até Charlestown, o Massachusetts General Hospital, considerado em 2015 o melhor hospital dos Estados Unidos, o Charles River Plaza Shopping Center, e os parques públicos Nashua Street Park e Lederman Park (ótimas pedidas para ler um livro ou fazer um pic-nic no verão! No inverno é bonito também, mas muuuito frio).

Leonard Zakim Bridge
Leonard Zakim Bridg

As quatro linhas de metrô atendem a área: a laranja (estação North Station, fica bem embaixo do TD Garden); a verde (North Station ou Science Park), a azul (Bowdoin) e a vermelha (Charles/MGH). Da North Station também partem trens para as cidades ao norte de Boston (Salem, Lowell, Lawrence, Newburyport, etc).

Beacon Hill

É uma das mais antigas comunidades de Boston, e leva o nome de um farol que ficava no topo de sua colina para alertar moradores sobre a invasão estrangeira (isso lá na época colonial!). É em sua maior parte residencial, um dos metros quadrados mais caros por aqui. A arquitetura é reflexo do período colonial, constituída por casas geminadas de tijolos, detalhes em ferro, calçadas também de tijolos, ruas estreitas e lâmpadas a gás. É tão charmosa que sempre há casais e noivos fazendo sessão de fotos por lá.

Beacon Hill também é a casa da Massachusetts State House, da Suffolk University, do Museu de História Afro-Americana e do bar Cheers, restaurante onde foram gravados os exteriores da série de televisão com o mesmo nome. A Charles Street é a principal avenida do bairro, repleta de lojas de antiguidades e restaurantes.

Massachusetts State House, a sede do governo do Estado
Massachusetts State House, a sede do governo do Estado

Não há nenhuma estação de metrô dentro de Beacon Hill, mas dá pra usar tranquilamente as quatro linhas do metrô, cada uma com uma estação em cada extremo do bairro: linha laranja (Downtown Crossing), linha verde (Park Street), linha azul (Bowdoin), linha vermelha (Park Street e Charles/MGH).

Bay Village

Um dos menores bairros da cidade, Bay Village compensa a sua falta de tamanho com o seu ambiente acolhedor e amigável. É um pedacinho da cidade totalmente residencial, com casas que lembram as de Beacon Hill, só que menores. Não tem nada turístico por lá (a não ser, claro, as belas fotos que dá pra fazer pelas ruas). Por estar bem no coração da região central, próximo a vários restaurantes, da zona dos teatros e muitas outras atrações culturais, é uma área cara de se viver.

Na bordinha de Bay Village, na Stuart Street, fica o Revere Hotel, ótima opção de hospedagem (em termos de qualidade, não de preço! Esse é bem salgado). Praticamente na frente do hotel, há uma pintura feita pelos artistas brasileiros OSGEMEOS. Vale um clique seu!

Osgemeos
Osgemeos

Por aqui, as duas linhas de metrô mais próximas são: laranja (Tufts Medical Center) e a verde (Arlington). De ônibus, dá pra chegar lá perto com as linhas 9 e 43.

Back Bay

Back Bay é outra área residencial luxuosa, considerada um dos bairros mais desejados da América. Até Gisele Bundchen e Tom Brady já moraram por lá. As ruas paralelas Boylston StNewbury St formam um quarteirão repleto de lojas exclusivas, fast-fashions e restaurantes da moda. Já a terceira paralela, a Commonwealth Avenue, é uma avenida recheada de prédios residenciais vintage, com um canteiro central arborizado e magnólias que florescem na primavera. ❤

Quase todos os guias de Boston falam que Back Bay é o lugar certo para esbarrar com famosos na rua, mas sinceramente nunca vi ninguém! E olha que costumo bater perna na Newbury Street.

Arquitetura nas ruas de Back Bay
Arquitetura nas ruas de Back Bay
Newbury Street
Newbury Street

Esse bairro movimentado também abriga os dois edifícios mais altos de Boston, o Prudential Center (onde você pode ir ao topo para ver a cidade de cima) e o John Hancock Tower, além de tesouros arquitetônicos, como a Trinity Church, a Biblioteca Pública de Boston e a biblioteca Mary Baker.

Commonwealth Avenue e a Prudential Tower ao fundo
Commonwealth Avenue e a Prudential Tower ao fundo
De cantinho a Trinity Church e o John Hancock Tower
De cantinho a Trinity Church e o John Hancock Tower

Para usar o transporte público, além de várias linhas de ônibus que cruzam o bairro, temos as linhas verde do metrô (estações Arlington, Copley, Hynes Convention Center ou Prudential) e a laranja (Massachusetts Avenue ou Back Bay Station).

Fenway-Kenmore

Esse bairro é conhecido por ser a casa do Fenway Park e, consequentemente, do time de baseball Boston Red Sox (paixão dos Bostonians!). Já mostramos aqui como é o estádio por dentro e aqui em dia de jogo!

Fenway Park
Fenway Park

Mas Fenway-Kenmore vai além de esportes. O bairro possui várias das maiores instituições culturais da cidade, incluindo o Museu de Belas Artes, o Museu Isabella Gardner e o Symphony Hall. Fenway-Kenmore também tem uma forte presença acadêmica, incluindo a Boston Latin School, primeira escola pública dos Estados Unidos, bem como várias instituições de ensino superior (Boston University, Northeastern University, Berklee College of Music, Harvard Medical School, Simmons College, etc). E pela presença massiva de estudantes, a área é cheia de bares animados, lanchonetes de rede, livrarias e lojas moderninhas.

Museu de Belas Artes
Museu de Belas Artes
Symphony Hall, na Huntington Avenue
Symphony Hall, na Huntington Avenue
Boston Latin School, primeira escola pública dos Estados Unidos
Boston Latin School, primeira escola pública dos Estados Unidos
Harvard Medical School
Harvard Medical School
Northeastern University - School of Law (Escola de Direito)
Northeastern University – School of Law (Escola de Direito)
Simmons College
Simmons College
Prédio da Berklee College of Music, na divisa de Fenway com Back Bay
Prédio da Berklee College of Music, na divisa de Fenway com Back Bay

Essa região é atendida por todos os trens da linha verde (B, C, D e E – é preciso verificar a direção para escolher qual trem tomar) e pela linha laranja (estação Ruggles). Também tem vários ônibus diferentes, nem vou enumerar porque a lista vai ficar longa.

South End

O South End tem duas áreas bem diferenciadas. A primeira é a parte residencial, no lado norte da Washington Street. Cheio de casas geminadas de estilo vitoriano, é o lugar certo para fotografar portas e janelas charmosas e decorações sazonais na frente das casas (abóboras de Halloween, luzinhas de Natal, etc). Essa parte do bairro é super antiga, começou a ser construída em 1849 e hoje faz parte do Registro Nacional de Lugares Históricos.

Prédio histórico no South End
Prédio histórico no South End

Além das ruas residenciais, tem algumas áreas verdes bem interessantes, como o South-West Corridor Path, que é um corredor verde em meio aos prédios de tijolinhos, área super gostosa pra relaxar na sombra das árvores. E as praças históricas Blackstone Square e Franklin Square, lá nos arredores da Shawmut Ave.

Corridor Path, em um dia bem nebuloso. Aquele prédio atrás das nuvens, é o John Hancock
Corridor Path, em um dia bem nebuloso. Aquele prédio atrás das nuvens, é o John Hancock
Entrada do parque na Blackstone Square
Entrada do parque na Blackstone Square
Franklin Square
Franklin Square

Já a região mais ao sul da Washington Street, chamada de SoWa, virou um reduto de artistas, e por isso pipocam estúdios, galerias de arte, feiras gastronômicas, de artesanato, etc. Já falamos aqui sobre o mercado de pulgas que funciona todos os domingos por lá.

Um pedacinho do SoWa
Um pedacinho do SoWa
SoWa Food Truck Court
SoWa Food Truck Court

O South End é atendido pela Silver Line (SL4 e SL5) e pelas linhas de ônibus 8, 9, 10, 11, 15, 43, 47 e 170 (itinerários diferentes, mas todas cruzam o bairro). Dependendo do seu destino dá pra fazer muitas coisas a pé. De um extremo ao outro do bairro são menos de 30 minutos de caminhada.

Bairros menos centrais

South Boston

South Boston é uma área que mistura comércio, indústrias e residências.

Na parte mais comercial, que é a região mais próxima do Fort Point Channel (canal que faz a divisa entre Downtown e South Boston), encontramos três museus interessantes para serem visitados: o Boston Tea Party Museum (museu dentro de um barco, que conta a história da independência dos Estados Unidos, onde a cidade de Boston teve papel fundamental), o Museu Infantil de Boston (Children’s Museum) e o Instituto de Arte Contemporânea (ICA).

Canal Fort Point, divisa de Downtown com South Boston. A casa vermelha com os dois barcos ao centro da foto é o Tea Party Museum
Canal Fort Point, divisa de Downtown com South Boston. A casa vermelha com os dois barcos ao centro da foto é o Tea Party Museum
Boston Children's Museum
Boston Children’s Museum

Também em Southie (apelido carinhoso para o bairro) estão três importantes centros de eventos: o Blue Hills Bank Pavilion (um anfi-teatro gigante a céu aberto), o Boston Convention and Exhibition Center (espaço fechado onde ocorrem shows, feiras, exposições, etc) e o Seaport Hotel & World Trade Center (similar ao anterior).

Boston Convention and Exhibition Center
Boston Convention and Exhibition Center

Do lado do Convention Center há um parque experimental pouco conhecido dos turistas, mas que vale muito a visita: o The Lawn on D. Ele só funciona nos meses de calor (de maio a outubro). É cercado, mas tem entrada gratuita. Por ser “fechado”, há um bar vendendo bebidas alcoólicas, e sempre tem shows musicais ao ar livre, foodtrucks, jogos interativos, muitas cadeiras e mesas para relaxar… Sem contar no balanço da foto aí embaixo. Quando anoitece ele fica iluminado e rende belas fotos!

IMG_6994

Também já falamos do Lawn on D no post sobre o Halloween em Boston, veja aqui 🙂

Por fim, na parte comercial de Southie, também encontramos a cervejaria Harpoon (dá pra fazer tour guiado pela fábrica e ainda degustar o produto, hehehe) e o porto de cruzeiros de Boston, de onde partem navios para o Caribe, Canadá e outros destinos nacionais.

Mais ao sul ficam as ruas residenciais. O orgulho dos moradores de Southie é que eles estão perto do mar, e por isso podem desfrutar da praia a poucos quilômetros de casa. Lá tem duas praias com areia mesmo (Pleasure Bay Beach, onde fica o forte de Castle Island, destino popular no verão) e Carson Beach.

Casas de South Boston vista da colina no parque Dorchester Heights
Casas de South Boston vista da colina no parque Dorchester Heights
Carson Beach
Carson Beach

Para ir ou vir de South Boston, é possível usar a linha vermelha do metrô (estações Broadway e Andrew), a silver line (linha número 2 – SL2), e algumas linhas de ônibus (4, 5, 7, 9, 10, 11, 448, 449 e 459).

MISSION HILL

Um bairro a menos de 2 kilômetros de Downtown, que equilibra bem seu lado residencial e comercial. A comunidade que mora por lá é formada em grande parte por estudantes de faculdades próximas e famílias jovens que trabalham na área médica de Longwood.

São duas as principais ruas comerciais: a Tremont Street e a Huntington Avenue. Ambas são bem atendidas por restaurantes, lojas, supermercado e farmácias.

Comércio na Tremont Street
Comércio na Tremont Street

É na Tremont Street que fica também a histórica Basílica “Our Lady of Perpetual Help” (Nossa Senhora do Perpétuo Socorro). Também conhecida como Mission Hill Church.

Fachada da Mission Hill Church
Fachada da Mission Hill Church
Mission Hill Playground, o parque do lado da igreja
Mission Hill Playground, o parque do lado da igreja

Além da igreja, outro ponto interessante no bairro é o parque Kevin W. Fitzgerald. Uma antiga pedreira que foi revitalizada e transformada em parque público para uso da comunidade. Ele fica no topo da colina, oferecendo uma vista linda das torres da Mission Hill Church com o skyline de Boston ao fundo. No local, há também um grande gramado, trilhas de caminhada e bancos para descanso.

Kevin W. Fitzgerald Park
Kevin W. Fitzgerald Park

A região é servida pelo trem E da linha verde do metrô (estações Longwood Medical Area, Brigham Circle, Fenwood Road, Mission Park e Riverway) e um pouquinho mais longe pela linha laranja, estação Roxbury Crossing. De ônibus, dá pra usar as linhas 8, 14, 19, 32, 35, 38, 39, 47 e 66. Opções é que não faltam para uma região tão pequena.

Charlestown

Charlestown já fica ao norte do centro de Boston, do outro lado do Charles River (Rio Charles). Fundada em 1628, Charlestown já foi um povoado separado da cidade de Boston, sendo a primeira capital da colônia de Massachusetts. Com o crescimento de ambos os povoados, acabaram por se fundir, sendo Charlestown anexada a Boston em 1874.

Lá, fica o Monumento Bunker Hill, um obelisco que foi erguido no local onde ocorreu a batalha de Bunker Hill em 1775, a primeira luta das forças americanas contra o exército britânico, em busca da independência dos EUA.

Também em Charlestown fica o Navy Yard (pátio da Marinha Americana), que em tempos antigos (de guerras) funcionava com um estaleiro para reforma de navios. Desativado desde 1974, hoje lá está o Museu USS Constitution, que conta a história de um dos primeiros navios da marinha, o chamado USS Constitution (óbvio!). O navio fica ancorado no mesmo píer do museu (e agora está passando por reforma). Além dele, há também em exposição um navio destroyer usado na II Guerra Mundial, o USS Cassin Young (tudo com entrada gratuita).

Museu USS Constitution
Museu USS Constitution
Cassin Young
Cassin Young

Uma curiosidade é que John Harvard (o primeiro benfeitor da Universidade de Harvard e que acabou dando nome a ela), morava em Charlestown, não em Cambridge, como muitos imaginam.

A linha laranja do metrô passa por Charlestown (estação Community College). Ou ainda é possível pegar alguns ônibus saindo de Downtown ou da North Station, como as linhas 89/93, 92 ou 93.

East Boston

Originalmente um centro de construção naval, East Boston – carinhosamente chamado de Eastie – é considerado um bairro de imigrantes. Sua população é composta em grande parte de descendentes de latinos, mas também há uma comunidade forte de italianos e asiáticos.

É lá que fica o Aeroporto Logan, por isso East Boston é considerada a porta de entrada em Boston para pessoas de todo o mundo.

Um prédio lindo no bairro é o da filial da Biblioteca Pública de Boston. Chamada de East Boston Branch (filial de East Boston), essa foi a primeira ramificação da biblioteca central de Boston e, mais que isso, a primeira ramificação de uma biblioteca nos Estados Unidos (aconteceu em 1870). O prédio atual, que foi inaugurado em 2014, já concorreu a vários prêmios de arquitetura, e vendo a foto abaixo dá pra entender porquê.

East Boston Branch da Boston Public Library
East Boston Branch da Boston Public Library

Outros pontos que valem a visita no bairro: o Bremen Street Park bem na frente da biblioteca; a Constitution Beach, praia que fica de frente para o aeroporto e tem uma visão bem próxima dos aviões pousando e decolando; e o Piers Park, que oferece um panorama fenomenal do skyline de Boston.

Constitution Beach
Constitution Beach
Skyline de Boston visto do Piers Park
Skyline de Boston visto do Piers Park
Piers Park visto do mar
Piers Park visto do mar

Mostramos um pouco mais de Eastie nesse vídeo.

A região é atendida pela linha azul do metrô (estações Airport, Wood Island, Orient Heights e Suffolk Downs) e algumas linhas de ônibus como 112, 114, 116, 117, 120, 121, 712 e 713.

Bairros mais afastados/residenciais

ALLSTON

Leva esse nome em homenagem ao pintor americano e poeta Washington Allston, o introdutor do romantismo nos Estados Unidos. Apesar de não ser de Boston, ele estudou em Harvard e morou por um tempo em Allston.

Mural em uma parede na Glenville Ave, mostrando como era o bairro no passado
Mural em uma parede na Glenville Ave, mostrando como era o bairro no passado

O bairro é bem residencial e suas moradias consistem em edifícios de tijolo, especialmente na Commonwealth Avenue e as ruas ao seu redor. Já nas áreas mais perto da Brighton Avenue, são casas de madeira de dois ou três andares. Bem comum aqui nos Estados Unidos, essas casas são chamadas de multi-familiares, pois cada andar é independente e neles vivem diferentes famílias.

Fim de tarde na Commonwealth Avenue. No centro da avenida, o trilho do bonde da linha verde
Fim de tarde na Commonwealth Avenue. No centro da avenida, o trilho do bonde da linha verde

Devido à proximidade com faculdades e universidades, em Allston vivem muitos estudantes e imigrantes. A Harvard Ave, a Commonwealth Ave e a Brighton Ave têm uma boa variedade de restaurantes étnicos, lanchonetes de rede e barzinhos.

Uma curiosidade, é que a banda Aerosmith se formou em Allston. Sua primeira música foi escrita no apartamento 41 do endereço 1325 Commonwealth Avenue. Era onde ficava a república de um dos integrantes.

Fachada de um prédio na esquina da Cambridge St com a Franklin St
Fachada de um prédio na esquina da Cambridge St com a Franklin St
Street art não falta nessa região. Essa pintura do artista local Caleb Neelon fica na esquina da Cambridge St com a Denby Rd
Street art não falta nessa região. Essa pintura do artista local Caleb Neelon fica na esquina da Cambridge St com a Denby Rd

Nesse bairro fica a Harvard Business School e a sede da Atlética da Harvard University, uma área verde bem grande, destinada à prática de atividades físicas diversas (campos de tênis, de beisebol, pistas de corrida, ciclovias) e, o mais importante, o Harvard Stadium. Que é o estádio da universidade, construído em 1903, com lugar para mais de 30 mil pessoas sentadas.

Harvard Stadium
Harvard Stadium

Outro ponto de destaque no bairro é a filial da biblioteca pública de Boston, chamada de Honan-Allston. Não é bonita?

IMG_0465

Allston é atendida pelo trem B da linha verde do metrô, que passa pela área mais ao sul do bairro. De ônibus há mais opções: linhas 51, 57, 64, 66, 70, 86, 501, 503, 9701, 9702, 9703… Já deu pra ver que são várias, né?

BRIGHTON

Brighton já foi parte da cidade de Cambridge, sendo que era até conhecida como “Little Cambridge”. Em 1807 se tornou independente e em 1874 voltou a ser um bairro, agora de Boston. Nessa época, o bairro de Allston também era considerado Brighton. Por isso que até hoje os dois são muitas vezes referidos em conjunto como “Allston-Brighton”.

Segue as mesmas características de Allston: um bairro residencial tranquilo, com mistura de casas de famílias, repúblicas de estudantes, recém-graduados e jovens profissionais.

Brighton High School
Brighton High School

O Boston College fica no sul do bairro, assim como o Chestnut Hill Reservoir, um reservatório de água que antigamente servia para abastecer a cidade de Boston. Hoje ele está desativado, podendo ser usado apenas em casos de emergência na cidade (falta de água), o que nunca aconteceu. Por isso, ele é um lago lindo, sempre cheio, com banquinhos e calçadas/ciclovias ao seu redor. Um ótimo lugar pra relaxar.

Boston College
Boston College
Estádio do Boston College
Estádio do Boston College
Chestnut Hill Reservoir
Chestnut Hill Reservoir
Chestnut Hill Reservoir
Chestnut Hill Reservoir

O metrô que passa por lá é o trem B da linha verde, além dos ônibus 57, 64, 65, 66, 70 e 70A, 86, 501 e 503.

Roxbury

Roxbury é considerada o coração da cultura negra em Boston. De lá, saíram muitos talentos musicais, como a cantora disco Donna Summer, o baterista de jazz Tony Williams (ele tocava com Miles Davis) e ainda o cantor de R&B Bobby Brown.

Nos anos de 1970 e 80, era considerada um subúrbio perigoso, mas nas últimas décadas vem passando por um processo de renascimento. Com investimentos públicos, projetos sociais e locais com espírito empreendedor, Roxbury está se tornando um bairro repleto de comércio criativo, parques, jardins comunitários e muita arte de rua.

Pintura de Mandela nos muros de Roxbury
Pintura de Mandela nos muros de Roxbury
Arte comunitária que mistura inglês, espanhol e criolo, celebrando os direitos adquiridos sobre habitação acessível e outros projetos que estão beneficiando a comunidade
Arte comunitária que mistura inglês, espanhol e criolo, celebrando os direitos adquiridos sobre habitação acessível e outros projetos que estão beneficiando a comunidade

Como na maioria dos bairros de Boston, as construções residenciais são uma mistura de casas geminadas de tijolos vermelhos e as tradicionais multi-familiares de 3 pisos.

No bairro fica a histórica Shirley Eustis House, uma casa colonial construída em 1747, e que servia como casa de campo do governador da província William Shirley. Ela é considerada patrimônio histórico nacional, por ter sido mantida de pé por tantos anos.

Entrada da Shirley Eustis House
Entrada da Shirley Eustis House
Shirley Eustis House
Shirley Eustis House

No extremo sul de Roxbury, fica o zoológico de Boston. Ele tem mais de 100 anos (abriu em 1912), e conta com cerca de 220 espécies diferentes de animais. É dos passeios mais procurados pelas famílias com crianças. Mostramos mais dele nesse vídeo.

IMG_3353

A linha laranja do metrô é a única que atende o bairro, parando na estação Roxbury Crossing. A Silver Line pára na estação de ônibus de Dudley Square. Em compensação, são várias linhas de ônibus na área: 1, 8, 10, 14, 15, 19, 22, 23, 25, 28, 41, 42, 44, 45, 47, 66, 170 e 171. Ufa, cansei!

Centro de Boston visto dos trilhos do metrô, na estação Roxbury Crossing
Centro de Boston visto dos trilhos do metrô, na estação Roxbury Crossing

JAMAICA PLAIN

Jamaica Plain, ou JP para os íntimos, fica no sudoeste da cidade, e foi fundada por puritanos que procuravam terras agrícolas “no interior”. Os ares de fazenda já ficaram para trás (apesar de ainda conservar muita natureza e áreas verdes) e hoje o bairro tem uma cena gastronômica bem destacada – e sem ser concorrida como nas áreas centrais de Boston.

Sua principal rua é a Centre Street, onde fica quase todo o comércio. Além dos bares, cafés e restaurantes, tem muitos estabelecimentos locais com lojas de roupa, brechós, floriculturas, estúdios de arte, etc. Falando em arte, uma coisa que adoro por lá é que as laterais dos prédios comerciais são geralmente decoradas com murais <3

Centre St
Centre St

Já a zona residencial, aos arredores da Centre St, tem ruas arborizadas, com casas bem grandes e quintais idem.

Residências em Jamaica Plain
Residências em Jamaica Plain

Há dois locais “tem-que-conhecer” em JP. O primeiro é o Arnold Arboretum, uma espécie de jardim botânico da Universidade de Harvard, onde são realizados cultivo e estudo de plantas. Pra nós meros mortais, é simplesmente um parque arborizado (e florido na primavera), ótimo para praticar atividades físicas ou apenas relaxar.

O segundo é o Jamaica Pond, o maior lago de água doce da cidade. Ele é cercado por uma trilha de 2,5 km, e é um destino muito popular para caminhadas, corrida, pesca, remo e vela.

IMG_3367 IMG_3364 IMG_3358

Nos arredores do Pond, você vai encontrar as mais maiores casas do bairro. É mansão pra tudo quanto é lado, vale uma espiadinha!

Casas grandes tipo isso!
Casas grandes tipo isso!

O bairro é atendido pela linha laranja do metrô no seu extremo leste (estações Jackson Square, Stony Brook, Green Street ou Forest Hills). De ônibus, é possível usar as linhas 32, 35, 37/38, 38, 39, 41 e 42.

ROSLINDALE

Roslindale era uma área pouco habitada, bem de interior, e começou a se desenvolver na década de 1880, quando foi criada uma ferrovia ligando Boston à cidade vizinha de Dedham. No meio do caminho, Roslindale gerou interesse e logo mais e mais moradores.

Durante alguns anos, ela foi chamada de South Street Crossing, cruzamento da estrada de ferro com a South Street, uma das únicas vias públicas da região nessa época.

Seu nome atual veio com o crescimento do bairro. Ninguém queria ser conhecido por causa da ferrovia, um coisa industrial, suja e impessoal. E aí um morador bem conhecido na comunidade disse que Roslindale daqui, lembrava muito a cidade histórica de Roslin na Escócia, para onde ele já tinha viajado algumas vezes. Vejam bem, isso ocorreu no século XIX, então um cara viajado era tipo um “deus”. E aí que o povo foi convencido por ele e todo mundo começou a chamar assim: Roslin (cidade na Escócia) + dale (pequeno vale).

O bairro hoje é essencialmente residencial. Na Washington Street, sua principal via, encontramos a maior parte do comércio. Também há alguma coisa na Belgrade Ave e na Hyde Park Ave. De resto, são ruas de casas multifamiliares e pequenos prédios de apartamentos.

Casas multifamiliares em Roslindale

O coração do bairro fica na Roslindale Village, na Washington Street, área onde está a estação de trem, escolas, igrejas, biblioteca pública, centro comunitário, centros de saúde, etc.

Praça da Roslindale Village
Praça da Roslindale Village
Relógio histórico em Roslindale Village
Relógio histórico em Roslindale Village

A região não é atendida pelo sistema de metrô de Boston. Ou melhor, ela é atendida, mas o metrô não chega até lá. Então é preciso pegar a linha laranja até Forest Hills, e depois mais um ônibus. As linhas que servem a área são: 30, 34, 34E, 35, 36, 37, 40, 40/50, 50 e 51 (todos saindo de Forest Hills).

Além disso, também há duas estações do Commuter Rail, o trem regional que atende as áreas metropolitanas onde o metrô não chega. Bem mais rápido e confortável que o metrô, porém, bem mais caro! São elas: Roslindale Village e Bellevue, e a linha que passa nas duas é a Needham Line.

West Roxbury

West Roxbury, também conhecida como Westie, é ainda mais suburbana que Jamaica Plain. Ruas arborizadas, casas unifamiliares e muitas áreas verdes. Tem duas avenidas com mais comércio, a principal que é a Centre Street, onde tem cafés, restaurantes e supermercados. E a secundária, a Washington Street, vinda lá de Roslindale até aqui.

Comércio na Centre St
Comércio na Centre St
St Theresa-Avila Church na Centre Street
St Theresa-Avila Church na Centre Street

A gente mora em West Roxbury e tem uma relação confusa com o bairro. Gostamos da tranquilidade, do pouco trânsito, dos restaurantes com comida boa e preço justo, das pessoas que são mais simpáticas e te cumprimentam na rua… Parece que moramos no interior, mesmo estando na cidade. Por outro lado, como estamos longe de Downtown, o transporte público demora pra chegar até aqui (50 minutos em média), e não temos muito comércio perto da gente, tipo farmácia e mercado. Com carro, acho que é ótimo morar aqui. Sem carro, você ou vai andar muito a pé ou de busão. Mas enfim, o aluguel barato ainda compensa 🙂

A área é conhecida pela comunidade engajada e seu ativismo cívico. Faz sentido né, os bairros mais afastados geralmente recebem menos atenção do poder público, então o povo aqui faz manifestação até pra colocar uma nova placa de “Stop” numa esquina.

A área verde mais conhecida do bairro é o Millennium Park, um antigo aterro que foi convertido em 406 mil metros quadrados, com trilhas, campo de futebol, parquinho e espaço para piquenique.

Millennium Park
Millennium Park
Por do sol no Millennium Park
Por do sol no Millennium Park

Assim como Roslindale, West Roxbury não é atendida diretamente pelo sistema de metrô. É preciso pegar a linha laranja até Forest Hills, e depois mais um ônibus. As linhas que servem Westie são: 34, 34E, 35, 36, 37, 37/38 e 52. Além de duas estações do Commuter Rail: Highland e West Roxbury, por onde passa a Needham Line.

Hyde Park

Hyde Park foi criada na década de 1660 e cresceu como um centro de fabricação de papel e algodão no século XVIII. Depois, em 1850, com a extensão das linhas ferroviárias de Boston, passou a ser escolhida por muitas pessoas também como área residencial.

Hoje, o comércio do bairro, com pequenas lojas e restaurantes, se distribui ao longo da Hyde Park Avenue, da River Street e da Fairmount Avenue.

Esquina da Hyde Park Ave com a River Street
Christ Church na River Street
Filial da biblioteca pública de Boston em Hyde Park

Na primavera e no verão, muitos moradores da cidade se reúnem para jogar golfe em Hyde Park, no George Wright Golf Course, um dos dois campos de golfe municipais da cidade.

Hyde Park não tem estações de metrô. A forma mais rápida de chegar em Downtown é o commuter rail. As linhas Franklin Line e Providence/Stoughton passam pela estação Hyde Park, e as linhas Franklin e Fairmount passam pelas estações Fairmount e Readville.

Além disso, algumas linhas de ônibus (números 24, 32, 33, 40/50 e 50), fornecem conexões às linhas laranja e vermelha do metrô, na estação de Forest Hills em Jamaica Plain e na estação de Mattapan em Mattapan, respectivamente.

Estação do Commuter Rail
Estação do Commuter Rail

Mattapan

À semelhança de outros bairros da região sul e sudoeste de Boston, Mattapan desenvolveu-se nos séculos XIX e XX, com a construção de ferrovias e bondes, ligando essa área ao centro.

Hoje predominantemente residencial, Mattapan tem uma mistura de habitações populares, prédios de apartamentos pequenos e casas multifamiliares (conhecidas localmente como “Three-Deckers” ou “Triple-Deckers” – cada família vivendo em um andar).

As principais avenidas do bairro são a Blue Hill Avenue, a River Street e a Cummins Highway. O ponto onde as três se encontram chama-se Mattapan Square, o coração comercial do bairro. Lá, concentram-se a estação de ônibus/bonde, os bancos, alguns escritórios, restaurantes e lojas de varejo.

Blue Hill Avenue e as casas triple-deckers
Filial da Biblioteca Pública de Boston, na Blue Hill Avenue. Prédio inaugurado em 2009
Mattapan Square
Mattapan Square

Como já falei ali em cima, Mattapan tem um bonde (trolley) que liga o bairro à linha vermelha do metrô, em Ashmont. Os mesmos carros são usados desde 1929, e é a forma mais rápida de chegar em Downtown. Ou seja, pegando o bonde em Mattapan, indo até Ashmont e lá trocando para a linha vermelha.

Já os ônibus que atendem o bairro são: 15, 24, 24/27, 27, 28, 29, 30, 31, 33, 245 e 716. Em diferentes direções e saindo de diferentes estações.

Estação do bondinho que se liga com a linha vermelha do metrô

DORCHESTER

Uma grande parte dos moradores de Boston vivem neste bairro, mas nem sempre foi assim. Até 1870, era uma cidade à parte, com apenas 12 mil habitantes. Foi fundada por puritanos que emigraram em 1630, vindos da cidade de Dorchester na Inglaterra. Daí a origem do nome.

Dorchester cresceu rapidamente com os avanços em transporte (de novo!). Foi inserida ao mapa de Boston e, em 1920, sua população já chegava aos impressionantes 150 mil moradores. Além de ser o bairro mais populoso, é também o maior em extensão. Por isso, hoje as autoridades o dividem como Dorchester e Mid-Dorchester (o próximo da lista), a fim de criar duas áreas de planejamento equivalentes aos outros bairros de Boston.

A principal avenida do bairro é a Dorchester Avenue, que corre de norte a sul, ligando as cidades do sul até o centro de Boston. Porém, pelo bairro ser muito grande, existem várias outras pequenas áreas comerciais (como se fossem centrinhos), como a Fields CornerCodman Square, Peabody Square e Ashmont.

Peadoby Square, em Ashmont
Peadoby Square
Prédio na Ashmont Square
Prédio na Ashmont Square
All Saints Church, em Ashmont
All Saints Church, em Ashmont
Arte na rua, em Ashmont
Arte na rua, em Ashmont

Um lugar bacana para relaxar no extremo sul de Dorchester é a reserva Papa João Paulo II/Pope John Paul II Park, área verde com aproximadamente 66 acres, aberta aos visitantes o ano inteiro. Em seus primeiros tempos foi usada como aterro e também como um cinema drive-in (aqueles que assiste o filme de dentro do carro!). Hoje é um parque público com instalações para piquenique, campos de futebol, trilhas para caminhada e também espaços para plantio de árvores e flores.

IMG_3538

Essa parte sul do bairro é servida por três estações da linha vermelha do metrô: Fields Corner, Shawmut e Ashmont. Também pelo bondinho para Mattapan (saindo de Ashmont), e diversas linhas de ônibus, dentre elas: 12, 15, 17, 18, 19, 21, 22, 23, 24, 24/27, 26, 27, 45, 201, 202, 210, 215, 217 e 240.

Ashmont Station, última parada do trem da linha vermelha
Ashmont Station, última parada do trem da linha vermelha

Dorchester é conhecida por sua diversidade étnica e cultural. Mas infelizmente, segundo as estatísticas, é onde se concentra a maior parte dos crimes ocorridos em Boston. Não chega perto dos padrões do Brasil, mas são taxas altas para uma cidade segura como Boston 🙁

MID DORCHESTER

A parte norte da Dorchester Avenue é mais próxima de Downtown e bem mais urbana, com maior quantidade de prédios de apartamentos e parques industriais.

Em Newmarket Square, onde ficam algumas das indústrias desse bairro, está também o shopping South Bay Center, com lojas âncora como Best Buy, Target, The Home Depot, Marshalls, etc. Um dos centros de compras mais completos da cidade.

Parte do South Bay Center

Já a área de Harbor Point (anteriormente conhecido coma Columbia Point) é casa de várias instituições de ensino e pesquisa. Lá, fica o campus de Boston da Universidade de Massachusetts (Umass), o Museu e Arquivo de Massachusetts, a biblioteca presidencial JFK (faremos post logo logo!), o Boston College High School, dentre outras.

Entrando em Harbor Point
Fachada da tradicional escola de ensino médio Boston College High School
JFK Library

O Harbor Point é uma península banhada pelo mar e tem um calçadão com vista panorâmica em todo o seu redor. Esse passeio faz parte da Boston Harborwalk, que vai até o centro da cidade e é muito usada por corredores e ciclistas.

Harborwalk e os prédios de Downtown ao fundo
Coreto na Harborwalk, em Mid-Dorchester
Coreto na Harborwalk, em Mid-Dorchester

Outra área comercial bem forte é Uphams Corner e toda a Columbia Road. Nela, fica o Strand Theatre, que mostramos nesse vídeo.

O bairro é atendido por duas estações de metrô da linha vermelha: JFK/Umass e Savin Hill, e ainda pelos ônibus 5, 8, 15, 16, 17, 18, 41. Também passam por lá dois trens da linha roxa (commuter rail): Fairmount Line e Franklin Line, nas estações Newmarket e Uphams Corner.


Se você chegou até aqui, parabéns! Esse é o post mais longo da história do blog, e também o que levou mais tempo para ser escrito. Nem tanto pelo texto, mas porque todas as fotos são nossas. O que significa que batemos muita perna por Boston nos últimos meses pra juntar as fotos e conhecer um pouco mais de cada cantinho da cidade.

Esperamos que tenham gostado! E se tiverem alguma sugestão de atração/dica pra inserir no guia, deixem nos comentários. Assim como dúvidas, respondemos 100% do que nos perguntam por aqui e pelo nosso e-mail.

Abraço e até a próxima!

Administradora, eterna estudante, cozinheira nas horas vagas e viciada em maquiagem.