Atrações, Boston, Museus

Museus de Boston: Isabella Gardner

Continuando a nossa missão (nem era uma missão, mas já que estamos falando) de visitar todos os museus da nossa bela Boston, hoje vamos falar sobre um dos mais tradicionais da cidade, o Isabella Gardner Museum. Tradicional porque é um dos mais visitados, juntamente com o Museum of Fine Arts e o Museum of Science. Não necessariamente por ter um tipo específico de arte.

Isabella Gardner Museum

Isabella Gardner Museum
Isabella Gardner Museum

O Museu Isabella Stewart Gardner foi criado em 1903 pela própria Isabella para abrigar a sua extensa coleção de obras de arte. A história é um pouco trágica porque começa com a morte de seu único filho ainda criança e a depressão que a acometeu logo em seguida. Preocupado com a sua esposa, John Gardner decide então levar Isabella para conhecer o leste europeu e  a cidade de Paris.

Nessa viagem, Isabella deu o pontapé inicial na criação da sua coleção gigantesca com mais de 2500 obras. Claro que muitas viagens subsequentes ajudaram.

Isabella Gardner Museum
Isabella Gardner Museum

Vendo que sua casa já era pequena, ela decide então construir um espaço próprio para abrigar as obras e morar também. E assim, em 1903 surge o Fenway Court, nome original do prédio de 4 andares, sendo os 3 primeiros espaços de exibição, ateliês e salões festivos e o último andar, a moradia de Isabella.

Andares superiores e teto de vidro
Andares superiores e teto de vidro

E esse prédio-museu e suas obras expostas seguem exatamente a visão de que a dona tinha em relação à arte e estética. Em 1925, quando faleceu, ela fez questão de deixar em testamento que o museu deveria ser mantido intocado, sem novas aquisições ao acervo permanente e nem mudança nos cômodos.

Até nos corredores tem obras de arte
Até nos corredores tem obras de arte

Particularmente, acho que é um bagunça visual, com quadros em cima de quadros, alguns expostos até em placas verticais como se fossem cortinas. Mas entendo que a intenção era mostrar que a arte pode ocupar qualquer espaço.

Muitas, muitas obras em lugares inusitados
Muitas, muitas obras em lugares inusitados
E no fim do corredor de acesso ao jardim...
E no fim do corredor de acesso ao jardim…

O museu também é conhecido como palco do “maior roubo de artes da história dos Estados Unidos”, quando em 1990, dois assaltantes renderam o segurança e levaram 13 obras, avaliadas em mais de US$ 500 mi. A obra “The Concert”, do artista Johannes Vermeer, a mais famosa dessas, sozinha vale mais de US$ 200 mi. Além é claro de obras de Rembrandt, Degas, Manet. Nunca recuperadas, os espaços onde estavam expostas continuam vazios, seguindo o pedido de Isabella de deixar o museu intocado.

Jardim externo
Jardim externo
Acesso do jardim externo
Acesso do jardim externo

Em 2012, o museu cresceu com a construção de uma nova e moderna ala, ao lado do antigo prédio, servindo hoje de entrada, restaurante, lojinha, salas de aula e espaços administrativos.

Ala nova
Ala nova

Indo ao Isabella Gardner Museum, não deixe de apreciar o vão central com suas belas plantas e esculturas, além do teto de vidro, criado exclusivamente para dar vida e calor ao espaço. Já nos andares superiores, não deixe de ir nas varandas e olhar para esse mesmo espaço.

Pátio interno
Pátio interno
Pátio interno
Pátio interno
Pátio interno
Pátio interno
Pátio interno
Pátio interno

Lembrando que fotografias são permitidas apenas no espaço térreo e vídeos são proibidos em todos os espaços, incluindo tentar fazer snapchat (é, tomamos uma dura do segurança).

Como chegar no museu, horário de funcionamento e quanto custa?

Ele está localizado no bairro de Fenway-Kenmore, bem próximo ao Museum of Fine Arts.

Eu não recomendo ir a pé, a não ser que você já esteja no MFA. Então, saia do MFA pela porta de trás, que é a porta onde tem as cabeças de bebês. Você vai sair na Fenway, siga nela no sentido noroeste, contrário ao fluxo dos carros, até chegar ao museu.

Para chegar de metrô: Linha Verde E até a estação Museum of Fine Arts. Saia da estação no sentido oeste e ande até a Louis Prang Street, que fica dobrando à direita. Você vai continuar nessa rua até ela virar a Fenway. Aí é só cruzar o Evans Way Park e sair no museu. Outra opção também é saltar na estação Longwood. Saia da estação também no sentido oeste e entre na Longwood Avenue, dobrando à direita. Siga nela até a Palace Road, entre nesta virando à direita e siga até dobrar a direita na Tetlow Street e logo em seguida na Evans Way, onde está localizado o museu.

Para chegar de carro: O endereço do Isabella Gardner Museum é 25 Evans Way. Mas eles aconselham usar o estacionamento do MFA. Então, é só estacionar lá e seguir as indicações de como chegar a pé, escritas ali em cima. O endereço do estacionamento é 99 Museum Road. O preço é US$ 10 por hora.

Acesso ao prédio principal é através do prédio novo
Acesso ao prédio principal é através do prédio novo

O museu funciona de quarta à segunda, das 11h da manhã até às 17h, com exceção de quinta que o horário é até às 21h. As entradas custam US$ 15 para adultos, US$ 12 para maiores de 65 anos e gratuitas para menores de 18, aniversariantes do dia, pessoas chamadas Isabella, estudantes das faculdades da região e militares. Além disso, quem for no MFA antes, ou estiver usando algum objeto do time Boston Red Sox, ganha desconto de US$ 2 na entrada.

Muitas flores lá dentro
Muitas flores lá dentro

Há tours guiados gratuitos, mostrando as principais obras de lá, durante os dias da semana ao meio-dia e às 14h.

No mais, eu sugiro, assim como com Museum of Fine Arts, tirar um dia ou um período inteiro do dia apenas para visitar o Isabella Gardner. Sem brincadeira, são muitas obras, salas e corredores. É tanta informação visual que vale relaxar e descobrir cada uma das obras.

Té a próxima!

😉

Fotógrafo, barbudo, viciado na Craigslist e wikipedia ambulante.