New Hampshire, USA

Nos arredores de Boston: Monte Washington

Quando visitamos o estado de New Hampshire, além de percorrer a Kancamagus Highway, também subimos o Monte Washington, cujo cume é o ponto mais alto de toda a região da Nova Inglaterra.

Em um dia claro, a visibilidade lá em cima pode chegar aos 210 kilômetros de distância. Ou seja, além de New Hampshire, avista-se os estados de Vermont, New York, Massachusetts, Maine, Quebec (no Canadá) e o Oceano Atlântico. Loucura, não?

Localização do Monte Washington e o raio de visão possível lá do topo, em um dia de tempo bom.
Localização do Monte Washington e o raio de visão possível lá do topo, em um dia de tempo bom.

A montanha tem 1.917 metros de altitude, e seu topo é acessível de carro (através da Mt. Washington Auto Road), de trem (com o Mt. Washington Cog Railway) ou a pé (por diferentes trilhas). Mais pra frente explico cada uma dessas opções.

Mount Washington State Park. O Monte Washington em si, que é o pico mais alto da região nordeste dos Estados Unidos, é aquele mais ao fundo (que tem as antenas).
Mount Washington State Park. O Monte Washington em si, é aquele mais ao fundo (que tem as antenas).
Base da montanha, pelo lado leste, onde começa a Mt. Washington Auto Road.
Base da montanha, pelo lado leste, onde começa a Mt. Washington Auto Road.

E o que encontramos lá em cima?

Eu, felizona de estar lá!
Eu, felizona de estar lá!

Além de algumas torres de transmissão, o Mt. Washington é o local de um observatório científico sem fins lucrativos, construído em 1932, que relata o clima da montanha e regiões ao redor. Eles também realizam pesquisas, principalmente a experimentação de novos dispositivos de medição de temperatura. O observatório tem um site e um instagram, com muitas imagens feitas lá de cima. Minhas preferidas? As noturnas que captam a Aurora Boreal! Sim, em algumas noites é possível vê-la de lá 😍

À esquerda, a torre do Mount Washington Observatory.
À esquerda, a torre do Mount Washington Observatory.

Esse observatório é fechado ao público, mas no mesmo prédio onde ele está, o edifício Sherman Adams, há um Visitors Center, com lojinhas, cafeteria, banheiros e o museu “Extreme Mt. Washington“.

Edifício Sherman Adams e a torre do observatório.
Edifício Sherman Adams e a torre do observatório.
Edifício Sherman Adams, visto mais de perto.
Edifício Sherman Adams, visto mais de perto.
Entrada do prédio.
Entrada do prédio.
Mapa do espaço interno.
Mapa do espaço interno.
Área de convivência.
Área de convivência.

O museu é, na verdade, uma exposição interativa que mostra como é o topo desta montanha no inverno. Não é preciso pagar ingresso. O espaço é pequeno mas vale dar uma espiada.

Museu Extreme Mt. Washington.
Museu Extreme Mt. Washington.
Tá vendo essa foto? É a mesma torre que mostrei ali em cima! 😱
Tá vendo essa foto? É a torre do observatório que mostrei lá em cima! 😱

Ah, no Visitors Center também há uma mini agência do US Post Office (correios), onde dá pra mandar um cartão postal da montanha pra si mesmo, um familiar ou amigo. Achei fofo!

Agência dos correios.
Agência dos correios.

Fora do edifício principal, temos também a Tip-Top House, uma pequena casa de pedra construída em 1853, e que foi uma hospedaria na época em que a montanha só era acessível a pé ou de cavalo. Naquele tempo, apesar de não existir um observatório formal, estudiosos já usavam a montanha para acompanhar o clima. Mas como a subida era muito difícil e demorada, eles acabavam passando algumas noites no local. Depois da construção da ferrovia, em 1869, a Tip-Top House caiu em desuso, e virou uma espécie de museu, mostrando – com mobília da época – como era ficar “isolado” por lá.

Tip-Top House.
Tip-Top House.
Tip-Top House e o pico da montanha.
Tip-Top House e o pico do Monte Washington.

Do lado dela, está o concorrido cume da montanha. Esse aglomerado de pedras marca oficialmente o ponto mais alto do Mt. Washington. Para mim, que subi de van, já foi legal tocar nele, imaginem para quem sobe caminhando? Uma verdadeira conquista!

Pico da montanha.
Pico da montanha.

Além do recorde regional de altura, a montanha é conhecida pelas suas condições atmosféricas bastante “peculiares”. No local foi registrado o vento mais forte já medido na superfície da Terra, com 372 km/h. Até mesmo furacões e tornados têm uma velocidade mais fraca quando tocam o solo. Isso ocorreu em 1934. O recorde de temperatura mais baixa por lá é de −45.6 °C, e de sensação térmica é de −75 °C. Em condições como essas, nossa pele congelaria em pouquíssimos minutos.

Para terem uma ideia da força do vento, a estação meteorológica e as torres mais altas estão acorrentadas ao chão. E o edifício principal foi projetado para resistir a ventos de até 480 km/h.

Torre de transmissão amarrada no chão.
Torre de transmissão amarrada no chão.

A paisagem que vemos lá de cima é bastante rural, se é que posso dizer assim, pois não existem grandes cidades nessa região. Ainda assim, não deixa de ser linda!

A vista em direção ao estado de New York.
A vista em direção ao estado de New York.
Estado de Vermont ao fundo.
Estado de Vermont ao fundo.
Um pouco da história das montanhas.
Um pouco da história das montanhas.
A vista frontal do edifício Sherman Adams.
A vista frontal do edifício Sherman Adams.
Wildcat Mountain, estação de esqui que fica em uma cidade próxima. Lá no fundo, o Oceano Atlântico.
Wildcat Mountain, estação de esqui que fica em uma cidade próxima. Lá no fundo, o Oceano Atlântico.

E como subir no Monte Washington?

Vamos aos detalhes.

Pela Mt. Washington Auto Road – que é uma auto-estrada – você pode: ou subir dirigindo seu carro ou com o serviço de tours guiados, oferecidos na base da montanha (no Great Glen Trails Outdoor Center).

Placa que sinaliza o início da Auto Road, e o centro de apoio, onde você pode estacionar seu carro e comprar o tour guiado.
Placa que sinaliza o início da Auto Road, e o centro de apoio, onde você pode estacionar seu carro e comprar o tour guiado.
Great Glen Trails Outdoor Center.
Great Glen Trails Outdoor Center.
Entrada do Great Glen Trails Outdoor Center.
Entrada do Great Glen Trails Outdoor Center.
As vans que fazem o tour guiado.
As vans que fazem o tour guiado.

Nós optamos por esse tour, pois não tínhamos noção do quão íngreme poderia ser a subida. O preço da van é um pouquinho salgado: $35 por adulto, $30 para idosos, $15 para crianças com idade entre 5-12 e gratuito para menores de 5. No total, são 2 horas de passeio: 30 minutos para subir ao cume – com um guia explicando a história e as características da região, 1 hora lá em cima – que é livre para visitar e percorrer as atrações, e mais 30 min de descida.

No Outdoor Center, os preços para fazer o passeio de van, e as informações de temperatura, velocidade do vento e visibilidade no topo da montanha.
No Outdoor Center, os preços para fazer o passeio de van, e as informações de temperatura, velocidade do vento e visibilidade no topo da montanha.
Também no Outdoor Center, um espaço com lojinha de souvenirs, banheiros, café, mesas e wifi.
Também no Outdoor Center, um espaço com lojinha de souvenirs, banheiros, café, mesas e wifi.
Em exposição, uma das carroças que faziam a subida ao cume antes da popularização dos carros.
Em exposição, uma das carroças que faziam a subida ao cume antes da popularização dos carros.

Esse tour é oferecido de meados de maio a meados de outubro, todos os dias (com exceções para condições meteorológicas adversas), entre às 8h30m e às 17h. Os ingressos podem ser comprados na hora e as vans saem a cada 30 minutos, mais ou menos. A Mt. Washington Auto Road sobe pelo lado leste da montanha, a partir da Rota 16, em Pinkham Notch.

Parte da estrada em meio à vegetação.
Parte da estrada em meio à vegetação.
Aqui, a van passando do lado de um barranco. Não há guard-rail em nenhum ponto da estrada, porque, segundo nosso guia, isso faria com o os motoristas se arriscassem mais, pela falsa sensação de segurança. Faz sentido, né?
Aqui, a van passando do lado de um barranco. Não há guard-rail em nenhum ponto da estrada, porque, segundo nosso guia, isso faria com o os motoristas se arriscassem mais, pela falsa sensação de segurança. Faz sentido, né?

A subida de trem, por sua vez, é mais nostálgica. Realizada pela Mt. Washington Cog Railway, uma ferrovia histórica, inaugurada em 1869, a primeira no mundo a “escalar” uma montanha. E hoje, é o segundo trilho de trem mais íngreme no planeta (o primeiro fica na Suíça). Ele vem pelo lado oeste da montanha, a partir de Rota 302, em Crawford Notch.

O passeio dura 3 horas. Uma hora para subir e outra para descer, e mais 1 hora livre lá em cima. O trajeto é mais curto (e consequentemente bem mais inclinado). Contudo, demora mais pois o trem sobe a cerca de 4,5 km/h e desce a 7,5 km/h. Se é radical ou entediante, não saberia dizer, mas que parece ser bonito, ah, isso parece… Agora a pior parte, os preços: $68 para adultos, $63 para idosos, $39 para crianças entre 4 e 12 anos e gratuito abaixo dessa idade.

Trem chegando ao topo da montanha. Reparem que a locomotiva sobre atrás do vagão.
Trem chegando ao topo da montanha. Reparem que a locomotiva sobre atrás do vagão.

Por fim, a terceira opção é aquela que eu jamais faria: subir a pé. São vários caminhos, mas todos para trilheiros experientes/alpinistas. Não posso dar dicas, mas se você cogitar essa opção, procure informações e aconselhamento com o Appalachian Mountain Club (AMC). Além disso, mapas e serviços de guia podem ser contratados com organizações locais que promovem atividades ao ar livre.

Não se arrisque sem conhecer a área! Dezenas de alpinistas já morreram na montanha, devido a fatores diversos, como mudança brusca nas condições climáticas, equipamentos inadequados, falta de planejamento, etc. E, para piorar, helicópteros não sobrevoam o parque, por causa dos fortes ventos, então quem precisa de resgate, só a pé mesmo…

O caminho a pé até o cume do Monte Washington cruza outras montanhas, por isso os riscos tão grandes.
O caminho a pé até o cume do Monte Washington cruza outras montanhas, por isso os riscos tão grandes.
Mas deve ser lindo fazer tudo isso a pé!
Mas deve ser lindo fazer tudo isso a pé!

A região é bastante perigosa, e é por isso também que, nos meses mais frios, de novembro ao início de maio, ela fica fechada ao público. O Mt. Washington State Park é notório por suas avalanches, com mais de 100 registradas a cada ano.

Então, para quem ficou interessado em fazer esse passeio, não esqueça que, mesmo entre maio e outubro, todos os dias há medição do tempo para definir se o parque será liberado ao público ou não. Acesse o site oficial para confirmar se estará tudo funcionando na época da sua visita. E no mais, espero que você aproveite muito e saia de lá fascinado, assim como eu fiquei 💙

Abraço e té a próxima!

Administradora, eterna estudante, cozinheira nas horas vagas e viciada em maquiagem.