Atrações, Boston, Gratuitas

Passeio por Chinatown – Boston

Chinatown é o bairro asiático da cidade de Boston. Fica em uma área de mais ou menos 4 quadras, ao sul do Boston Common, portanto, no Centro da cidade. É uma das 5 maiores Chinatowns dos EUA e é a única do tipo em toda a região da Nova Inglaterra.

Nas ruas desse “bairro chinês”, encontramos lojinhas com os mais variados tipos de produtos chineses: chás, roupas, enfeites, brinquedos… Mas o que mais se destaca é a comida! São dezenas de restaurantes, com comida chinesa e de outros países da Ásia como Japão, Coréia, Vietnã e Camboja. Por isso, que apesar do nome Chinatown, muita gente prefere descrevê-lo como um bairro asiático.

Beach Street, em Chinatown.
Beach Street, em Chinatown.
Quinquilharias da China.
Quinquilharias da China.
Aquele "close" esperto pra ver os detalhes.
Aquele “close” esperto pra ver os detalhes.

Não acho que seja um lugar bonito. Diria até que é um pouco sujo e poluído visualmente. Mas creio que seja uma visita bem interessante. A língua falada não é o inglês, claro. Algumas placas e cardápios tem alguma informação em inglês, mas no geral, o chinês e o coreano tomam conta. É louco e confuso, mas é divertido. A gente se sente fora dos Estados Unidos.

Um cartaz de aluguel e venda de imóveis.
Um cartaz de aluguel e venda de imóveis.

Outra característica que acho super interessante de lá, é a união da comunidade asiática. Eles têm associação de moradores, de comerciantes, grupos de apoio para imigrantes, site com informações turísticas para quem é “ocidental” e ainda – o mais legal – organizam todas as festas típicas asiáticas bem ali no coração de Boston, para que a gente possa se sentir um pouco parte daquele mundo.

A festa mais famosa é o Ano Novo Chinês. A data não é fixa e segue o calendário lunar (cai entre 21 de janeiro e 19 de fevereiro do nosso calendário). É o feriado mais longo da cultura chinesa, dura oito dias e é comemorado com shows, luzes, fogos e muita dança.

Tem também a Parada Dança do Leão em março (Lion Dance Parade), o Festival de Verão em junho (Summer Festival), Festival da Lua em Agosto (August Moon Festival), Festival de Lanternas em setembro, dentre outros. Confira aqui, aqui e aqui as agendas organizadas pelas associações do bairro.

Bom, fora da época dessas festas típicas, para passear na região, você vai levar no máximo 2 horas (isso se parar para comer). A área é pequena e como já disse lá em cima, não é tão cheia de atrativos turísticos. Selecionamos aqui alguns pontos que você pode dar aquela passadinha.

O ponto mais tradicional e por isso, obrigatório para um turista, é o Portão Paifang, bem comum nos muitos bairros Chinatown em todos os EUA. Esse de Boston foi um presente do governo de Taiwan, em 1982.

Portão Paifang, protegido pelos leões de pedra da Guarda Imperial e com caracteres chineses no topo que dizem "Tudo sob o céu para o bem comum".
Portão Paifang, protegido pelos leões de pedra da Guarda Imperial e com caracteres chineses no topo que dizem “Tudo sob o céu para o bem comum”.

Dali, você pode seguir pela Beach Street, umas das mais tradicionais do bairro. Na primeira esquina, com a Oxford Street, está o Wai-Wai Restaurant. Apesar de servir pratos prontos com carnes de porco e frango, ele é bem tradicional pela sua sorveteria. O sabor mais famoso é o de gengibre.

Oxford Street. As placas tem indicações também em chinês.
Oxford Street. As placas tem indicações também em chinês.
Wai-Wai Restaurant & Ice Cream.
Wai-Wai Restaurant & Ice Cream.

Na frente do Wai-Wai, há um prédio com uma pintura enorme, dos artistas chineses Wen-ti Tsen e Yuan Zuo, chamada Chinatown Heritage Mural. A arte reproduz outra obra chinesa chamada “Os viajantes em uma Paisagem de Outono”, e foi bancada pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico da China. Sabe-se lá o motivo…

Chinatown Heritage Mural. Bom para admirar enquanto toma seu sorvete.
Chinatown Heritage Mural. Bom para admirar enquanto toma seu sorvete.

Depois voltando para a Beach Street, você vai passar em frente à Ho Yuen Bakery, que tem fama de ser a melhor e mais tradicional padaria chinesa na área. Eles vendem principalmente pãezinhos doces e bolos. Confesso que não provei pois quando entrei na loja, percebi que as duas chinesinhas estavam falando e rindo de mim (em chinês, claro!). Daí digamos que fiquei meio “P” da vida e fui embora. Mas fica a dica de comprar algum docinho por lá!

Ho Yuen Bakery, na Beach Street.
Ho Yuen Bakery, na Beach Street.
Alguns dos docinhos de lá.
Alguns dos docinhos de lá.

Exatamente do lado da Ho Yuen, está a 101 Bakery. Ela também é bem movimentada, então você pode olhar as vitrines e ver qual das duas te agrada mais.

Em frente a elas, no outro lado da rua, você verá a Tyler Street. Ali, está o China Pearl Restaurant, também famoso. Com decoração típica, comida e garçons idem, lá rolam as festas e eventos da “alta classe asiática”. Mas no dia-a-dia, nós meros mortais, podemos fazer uma visita para provar os típicos dim sum, que são pequenas porções de pasteizinhos para serem petiscados. Podem ser fritos ou assados no vapor, e de recheios variados. As massas são feitas à base de farinha de trigo, milho ou batata e podem ser fechadas como um rolinho, pastelzinho ou trouxinha. No Brasil, temos parecido o rolinho primavera.

Fachada louca do Restaurante China Pearl.
Fachada louca do Restaurante China Pearl.
Os típicos dim sum, no China Pearl.
Os típicos dim sum, no China Pearl.

Se não quiser gastar muito, na rua geralmente você também encontra, por cerca de 2 dólares, os mesmos dim sum. Só não garantimos a procedência do dito cujo.

Um pouco mais à frente, já na esquina da Washington Street com a LaGrange, está o Hayden Building. Um edifício construído em 1875, por um dos arquitetos mais aclamados na história dos Estados Unidos: Henry Richardson. Esse prédio é uma das últimas obras de HR ainda de pé (não tem a ver com os chineses, mas se você já está lá, aproveite para vê-lo).

Edifício Hayden, importante peça da arquitetura americana.
Edifício Hayden, importante peça da arquitetura americana.

Descendo na Kneeland Street, você vai passar pelo Instituto Chinês de Línguas, pelo Mc Donalds com o nome escrito em chinês, além de vários outros restaurantes e mercadinhos típicos. Sugiro entrar em um deles para ver o que tem à venda (e quem sabe comprar alguma coisa que você não faça ideia do que seja).

Não fotografei o Mc Donalds porque a fachada estava em reforma. Mas tá aí um exemplo de logo "traduzido para o chinês".
Não fotografei o Mc Donalds porque a fachada estava em reforma. Mas tá aí um exemplo de logo “traduzido para o chinês”.
Produtos em um mercadinho da Kneeland Street.
Produtos em um mercadinho da Kneeland Street.

Na esquina da Kneeland Street com a Hudson Street, estará o prédio do Merchants Association Building. Ele não tem nada demais. Porém, olhando pra cima, você vai encontrar esse letreiro que é bem simpático e fotogênico.

Bem-vindo à Chinatown!
Bem-vindo à Chinatown!

O letreiro foi criado por empresários da comunidade e tanto ele quanto o prédio foram projetados por um arquiteto chinês. A inauguração teve um grande alarde, pois ali passou a funcionar um centro comunitário. Até que o governo de Massachussets precisou alargar a Via Expressa que passa ao lado, e o prédio foi parcialmente demolido. O centro comunitário mudou de endereço, a região ficou um pouco abandonada (e suja), mas o letreiro continua lá.

Hudson Street.
Hudson Street.

Um pouco mais longe, na Harrison Avenue, fica o Tai Tung Village. Definitivamente, você não precisa ir até lá, pois é apenas um edifício residencial como qualquer outro. Só tem uma história bonita, que resolvi contar aqui pra vocês.

Tai Tung Village.
Tai Tung Village.

O Tai Tung Village foi o primeiro prédio em Chinatown com habitação a preços acessíveis. E, por isso, foi a primeira casa nos Estados Unidos para muitos novos imigrantes vindos da Ásia.

Ele tem fama entre os orientais de ser a porta de entrada para a América. No curso de inglês, conheci um chinês que morava lá. E depois disso, descobri que há uma máxima entre eles; de que todo chinês vive neste edifício, ou já viveu ou ainda conhece alguém que vive. Todos têm algum laço com o prédio. Fofo, né? 💙

Bom gente, já escrevi pra caramba. Espero que tenham curtido conhecer um pouco mais da Chinatown de Boston. Pode ser um bairro “exótico” para nós ocidentais, mas com certeza tem muita importância para os asiáticos. Deve ter aquele gostinho de estar mais perto de casa, né?

Confiram outros posts sobre a cidade de Boston aqui.

Té a próxima!

Administradora, eterna estudante, cozinheira nas horas vagas e viciada em maquiagem.