Boston, Transporte

Usando o “T”- Sistema de transporte público em Boston: Commuter Rail

Nós já falamos aqui sobre o sistema de transporte público de Boston em geral e aqui sobre as linhas do metrô. Então, hoje é dia de falar de mais um dos modais do “T”: os trens regionais, também chamados de Commuter Rail ou de Linha Roxa.

Commuter Rail

Antes de tudo cabe dizer que o Commuter Rail são trens grandes para transportes de passageiros. Em tese, eles são mais rápidos, vão mais longe e levam mais gente que o metrô. Por outro lado, ele é bem mais caro que o metrô (pois é como um trem de viagem), atrasa constantemente no inverno e em horários de pico é mais socado de gente.

Trem da Linha Roxa. Foto: "MBTA F40PHM-2C" by MBTafan2011 - Own work. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Commons
Trem da Linha Roxa. Foto: “MBTA F40PHM-2C” by MBTafan2011 – Own work. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Commons

Se você anda, ou vai andar, no metrô de Boston é provável que em alguma das estações veja um desses trens, principalmente nas estações de North Station e South Station, que são grandes hubs das linhas.

A história desse modelo de transporte começou em 1830, ligando Boston à cidade de Lowell, localizada ao norte. E como quase tudo aqui em Beantown, foi uma das primeiras linhas de trem nos Estados Unidos.

De lá pra cá, as linhas cresceram em todas as direções, seja com a construção de novos trilhos, seja com a compra de ferrovias já existentes. São 12 linhas principais e algumas bifurcações, totalizando 14 linhas. Além disso, há uma linha especial para o Gillette Stadium em dia de evento.

Trem em movimento. Foto: "Outbound Needham Line train at Forest Hills" by Pi.1415926535 - Own work. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Commons
Trem em movimento. Foto: “Outbound Needham Line train at Forest Hills” by Pi.1415926535 – Own work. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Commons

A linha mais longa, Providence Line, liga Boston à capital do estado de Rhode Island, Providence, que fica ao sul de Massachusetts, e vai até um pouco mais além da capital, quase chegando na cidade balneária de Newport. Já a linha mais curta, Needham Line, liga Boston com a cidade vizinha de Needham, há pouco mais 25 minutos do centro.

O número de passageiros por dia chega a 130 mil e um detalhe é que hoje a operação dos trens é privatizada, sendo responsabilidade da empresa Keolis.

As linhas da Linha Roxa

Vamos dividir elas em duas categorias: norte e sul. Por que isso? Bem, as linhas saem ou da North Station ou da South Station e não há como pegar um só trem do norte pra chegar ao sul, INFELIZMENTE! A dica é sempre usar a estação Downtown Crossing do metrô pra fazer a baldeação, seja com a linha vermelha para South Station ou com a linha laranja para North Station.

As linhas do norte, saindo da North Station, são:

  • Fitchburg Line: Sai de North Station, passa na Brandeis University, indo até a cidade de Fitchburg e vice-versa. Essa linha está sendo expandida para chegar até a cidade Wachusett, ou seja, bom pra quem vai esquiar.
  • Lowell Line: Sai de North Station, passa na cidade de Woburn e vai até Lowell. Vale dizer que em Wilmington há uma bifurcação que liga até a estação Ballardvale de outra linha.
  • Haverhill Line: Sai de North Station, passa na cidade de Andover e chega em Haverhill. Na estação Ballardvale há uma bifurcação que liga até a estação de Wilmington na Lowell Line.
  • Rockport/Newburyport Line: Sai de North Station, passando por Salem, e na prática, elas são a mesma linha até a cidade de Beverly. Dali pra frente, a Rockport Line segue pelo litoral, passando por Gloucester e chegando na cidade litorânea de Rockport. Já a Newburyport, segue pelo interior, passando por Ipswich e chegando em Newburyport.

As linhas do sul, saindo da South Station, são:

  • Worcester Line: Sai de South Station, passa na cidade de Framingham e chega em Worcester.
  • Needham Line: Sai de South Station, passa pela estação de Forest Hills ainda em Boston, e indo até Neeedham Heights, já na divisa da cidade de Needham com outra cidade.
  • Fairmount/Franklin Line: O MBTA considerada como duas linhas separadas, na prática elas são uma só. A Fairmount Line vai até a estação de Fairmount no bairro Hyde Park em Boston. Dali pra frente, a Franklin Line continua o trajeto, passando pela cidade de Norwood e indo até a estação Forge Park/495 na cidade de Franklin. Cabe dizer também que o trem para o Gillette Stadium usa a estrutura dessa linha.
  • Providence/Stoughton Line: Mais uma linha bifurcada. Sai de South Station e vai até Canton Junction como uma só. Dali pra frente, uma das pernas vai até a cidade de Stoughton. Já a perna mais longa, vai até o estado de Rhode Island, passando pela capital Providence, e indo até a estação de Wickford Junction, no sul do estado.
  • Middlebourogh/Lakeville Line: Apesar do nome, é uma linha só. Sai de South Station, passa na cidade de Braintree e na cidade de Brockton, e vai até a estação Middlebourogh/Lakeville, bem na divisa entre essas duas cidades homônimas.
  • Kingston/Plymouth Line: Sai de South Station e vai até a estação de Halifax como uma linha só, dali uma trem vai pra Kingston e outro vai pra Plymouth.
  • Greenbush Line: Sai de South Station, passa pela cidade Hingham (onde você pode pegar um ferry legal), e indo até a cidade de Greenbush.

Cabe dizer que não coloquei todas as estações intermediárias onde o trem de cada linha pára, se quiser saber todas é só olhar aqui:

Mapa do Commuter Rail/Linha Roxa
Mapa do Commuter Rail/Linha Roxa

Valores e outras coisas

Bom, aqui mora o problema para muito dos turistas, principalmente porquê o valor da passagem é dívido por zonas. São 11 zonas, com numeração de 1 a 10 e o centro que é considerado zona 1A. Cada zona tem estações específicas e valores específicos, começando em US$2.10 até US$11.50. Quando mais você anda, mais você paga. Sair de Providence (8) para ir para a estação de South Station (1A) em Boston é bem mais caro que ir de Boston (1A) até Salem (3). Quanto maior o número da zona, mais longe ela é. Dá uma olhada aqui na comparação:

Comparativo entre Zonas
Comparativo entre Zonas

Aqui você também pode ver todos os preços, inclusive de bilhetes interzona, que é quando você vai, por exemplo de Worcester (8) para Framingham (5), ou seja, não chega a ir até o centro de Boston:

Interzona
Interzona
Tabela com todos os valores
Tabela com todos os valores

Você percebeu que é bem mais caro que o metrô, né? Mas tenha em mente que se você vai pra algum lugar próximo da sua estação, vale muito a pena. E, às vezes, mesmo indo para um lugar perto, com o “transporte convencional” você precisaria pegar o metrô e um ônibus para chegar, perdendo muito tempo. Como a linha roxa cobre áreas e direções diferentes, ela é útil para muitos usuários.

Por essa tabela aí de cima, também dá pra notar que é possível comprar o passe mensal (Monthly Pass), que dá direito a usar o Commuter Rail quantas vezes quiser durante o mês. E esse passe também é aceito no metrô (o “T”) e nos ônibus do mBTA. Também tem a opção de comprar 10 passagens de uma vez (10-Ride Pass).

Para comprar os tickets, eu sugiro o aplicativo do próprio mBTA pelo celular. Pra iPhone aqui e para Android aqui. Ele já calcula o valor certinho com a estação que você vai entrar/sair. Além disso, salva tudo para que você nunca mais fique preocupado em perder o ticket. Mas se você for da velha guarda ou está sem telefone aqui, pode comprar um ticket em qualquer máquina nas estações. Há também a opção de comprar direto com o fiscal dentro do trem, mas eu desaconselho porque sai mais caro.

Um vagão padrão. Foto: Facebook MBTA
Um vagão padrão. Foto: Facebook MBTA

Agora meus pitacos sobre os trens: Eles geralmente estão no horário, a exceção é no inverno. Se você estiver aqui nessa época vai ver que o transporte público começa a declinar rapidamente. Geralmente, o foco são os trens porque a galera que usa depende realmente dele. Perder um hora de trabalho é perder dinheiro, imagine perder um dia. O fato de os trens serem velhos também não ajuda muito.

Isso aí é o inverno! Foto: Twitter MBTA
Isso aí é o inverno! Foto: Twitter MBTA

Outra coisa que me irrita muito na região metropolitana de Boston é falta de algo que ligue as regiões de norte a sul, e vice-versa, sem precisar ir ao centro de Boston. Daqui de casa, no bairro de West Roxbury, se eu precisar ir até a cidade de Framingham, tenho que pegar um ônibus, depois o metrô até a North Station, e aí sim, pegar o trem da linha roxa. Pode contar bem mais de 2h nessa brincadeira. E ter que pegar 4 ônibus diferentes não é uma opção. Seria realmente bom um trem que ligasse trajetos nesse sentido, mais ou menos como a I95 faz com quem usa carros.

No mais, eu acredito que usar os trens facilita muito a vida para quem vai pra distâncias mais longas. É mais uma opção nesse canto dos Estados Unidos.

Espero ter ajudado!

Té a próxima!

😉

Fotógrafo, barbudo, viciado na Craigslist e wikipedia ambulante.