Arizona, USA

Visitando o Grand Canyon National Park

Na road trip que fiz com minha família entre a Califórnia e Las Vegas, demos uma esticada no trajeto para uma parada mais que especial, no Grand Canyon National Park. ❤

Acho que todo mundo já ouviu falar do Grand Canyon, né? Ele é um dos parques naturais mais famosos do mundo, considerado uma das sete maravilhas naturais do planeta e nomeado como Patrimônio Mundial da UNESCO.

O parque está localizado no noroeste do estado do Arizona. Sua geografia acidentada, cheia de fendas e abismos, foi desenhada ao longo de dois bilhões de anos por meio de processos erosivos causados, principalmente, pelas águas do Rio Colorado. Essas formações rochosas chegam aos 446km de extensão e alcançam 30km de largura e 1.800m de profundidade. É algo que parece surreal!

Sobrevoando o Grand Canyon: vôo entre Boston e Los Angeles.
Sobrevoando o Grand Canyon: vôo entre Boston e Los Angeles.

Em virtude da enorme extensão, existem vários pontos para avistar esses Canyons. E esse é o primeiro passo para começar a planejar sua viagem pra lá: definir quais rims, ou bordas/margens/lados, que você pretende visitar. São três bordas diferentes entre si: o South Rim (o maior e mais popular), o North Rim (um pouco menor e bem menos turístico) e o West Rim (o mais novo a abrir aos visitantes e que tem uma atração bem inusitada).

Eu fui apenas no South Rim, e é ele que vocês verão nas fotos e relatos abaixo. Mas no final do post, eu falo um pouco mais sobre o que pesquisei dos outros Rims 🙂

South Rim – o lado sul do Grand Canyon National Park

Como eu já disse, a borda sul do Canyon é a mais visitada. São 5 milhões de visitantes por ano, contra 1 milhão de visitantes no West Rim e 500 mil no North Rim. Isso porque South Rim é considerado uma das porções mais bonitas do parque e lá onde encontramos também a melhor infra-estrutura turística: centros de apoio aos visitantes, mais hospedagem nas proximidades, etc.

Visitors Center no South Rim. Foto: U.S. National Park Service
Visitors Center no South Rim. Foto: U.S. National Park Service

O South Rim fica aberto 24h por dia, 365 dias por ano. Ou seja, não fecha nunca. O preço para entrar é de $30 por veículo (não importa quantas pessoas), para uma licença de uma semana. Para quem vai de excursão, normalmente o preço já está incluído no ticket (tem váááários tours saindo de Las Vegas, é só perguntar na recepção dos hotéis).

Um dos ônibus de tour privado, dentro do parque
Um dos ônibus de tour privado, dentro do parque

Antes de ir lá, eu achava que o Grand Canyon tinha uma bilheteria e um ou dois mirantes para olhar a vista. Mas não! Lá em cima do South Rim existe uma vila completa de serviços, chamada Grand Canyon Village.

Grand Canyon Village, vários serviços bem na beira do canyon. Clique para ampliar
Grand Canyon Village, vários serviços bem na beira do canyon. Clique para ampliar

São 7 diferentes opções de lodges (alojamentos), variando no preço de $81 a $426 por noite, áreas de camping (acampamento), lojas, restaurantes, assim como serviço de shuttle bus (ônibus).

Se você quiser se hospedar dentro do Parque durante a sua visita ao Canyon, boa sorte! 😜 As acomodações devem ser reservadas com até um ano de antecedência, em alguns casos, pois o negócio é concorrido. Mas deve valer cada centavo. Muitos alojamentos ficam na beira do penhasco, e você terá uma bela vista da janela do seu quarto. Sem contar que dá pra aproveitar bem mais as atividades oferecidas. Eu e minha família ficamos em uma cidade vizinha (Flagstaff, mas também dá pra se hospedar em Williams ou Sedona). Todas elas ficam de 1h a 2h de distância do parque.

Já sobre o serviço de shuttle bus, vale destacar que esse é um sistema de transporte gratuito, que liga todas as áreas do parque. Algumas, inclusive, não são acessíveis por veículo privado, só de ônibus. E os estacionamentos perto dos mirantes são sempre pequenos e lotados, então minha dica é que você estacione seu carro no Centro de Visitantes e use esses ônibus para passear pela área.

Indicação para o serviço de translado (shuttle bus)
Indicação para o serviço de translado (shuttle bus)

Lá dentro do parque, muitas atividades são gratuitas (como trilhas, tours guiados, palestras, entrada nos museus, etc). Você pode participar delas pegando a programação e os mapas no Visitors Center.

Yavapai Geology Museum, um museu que explica a formação do Grand Canyon
Yavapai Geology Museum, um museu que explica a formação do Grand Canyon

E, claro, o mais importante, ao longo do South Rim existem dezenas de trilhas e passeios que ligam 15 mirantes com visões panorâmicas do Canyon, cada um de um ângulo diferente. A maior parte dessas trilhas são acessíveis pra qualquer pessoa, nada muito radical. O que é radical é que muitas delas ficam na beira dos penhascos e não têm corrimão 😱 Não há registros de acidentes na área, mas né? Todo cuidado é pouco.

Mirante Mather Point ao fundo. Olha o tamanho das pessoas! Lá no mirante tinha grade, mas a trilha onde eu estava, não
Mirante Mather Point ao fundo. Olha o tamanho das pessoas! Lá no mirante tinha grade, mas a trilha onde eu estava, não
Vista do Lipan Point
Vista do Lipan Point
Mais uma trilha, dessa vez protegida por grades
Mais uma trilha, dessa vez protegida por grades
Oi, amiguinho!
Oi, amiguinho!
Visão de uma das trilhas, um pouco mais perto do Canyon
Visão de uma das trilhas, um pouco mais perto do Canyon
Cena de desenho animado: uma única nuvem de chuva, cruzou todo o Canyon e nós ali, apenas apreciando
Cena de desenho animado: uma única nuvem de chuva, cruzou todo o Canyon e nós ali, apenas apreciando

Desculpem a quantidade de fotos, mas acho que dá pra perceber que é difícil selecionar, né? Para cada lado que você olha no Grand Canyon, há uma nova paisagem incrível pra ser registrada! 💙

Diferenças entre os Rims

Mapa das margens (Rims) do Grand Canyon e distância em milhas das cidades ao redor
Mapa das margens (Rims) do Grand Canyon e distância em milhas das cidades ao redor

Bom, para quem está em Las Vegas é mais perto ir até a borda oeste, o West Rim. Em duas horas de ônibus ou carro, você já chega lá. São 196km, e por isso dá pra fazer um bate-e-volta no mesmo dia. Para visitar o South Rim, partindo de Vegas, um dia é inviável devido à distância de aproximadamente 445km. Você terá que dormir lá, despendendo mais tempo e dinheiro.

O West Rim é menor que o South Rim, no sentido de ter menos altitude. E por isso oferece uma visão menos ampla do horizonte. Mas sinceramente, se você só tem um dia para desfrutar do Grand Canyon, eu digo que vale mais ir até lá que não ir.

Além do mais, o West Rim tem uma atração chamada Skywalk, que é uma passarela de vidro em formato de U, suspensa sobre o abismo do Canyon. Ela foi aberta ao público em 2007 e é considerada uma das mais inovadoras maravilhas da engenharia de nosso tempo. Imaginem que ela fica suspensa a 1.200 metros de altura e sem colunas de sustentação com o chão lá em baixo (óbvio, né?).

Grand Canyon Skywalk. Foto: Wikipedia
Grand Canyon Skywalk. Foto: Wikipedia

Ela se estende por 21 metros à frente do topo do Canyon, comportando apenas 120 visitantes por vez. É preciso usar um sapato especial, que eu acredito que é apenas para não arranhar o vidro do chão. Para quem tem medo de altura, deve ser apavorante!

Junto à passarela, existe um complexo composto de um centro de visitantes de 3 andares, cinema, museu, sala VIP, lojas, bares e restaurantes.

O West Rim não faz parte do Parque Nacional do Grand Canyon, ele é administrado pela reserva indígena Hualapai. Mas independente disso, continua sendo o Grand Canyon, né? Os preços é que são diferentes.

A entrada no West Rim custa $43 para cada adulto e $37 para crianças. Isso sem o ingresso para a Skywalk. Com a Skywalk, sai $81. E não tem como comprar ingresso apenas para a Skywalk, você precisa pagar para entrar no parque.

Mas ao contrário, é possível entrar no parque sem ir na Skywalk. A vista é a mesma de quem estiver na passarela. A única diferença é não poder andar sobre ela. Outra questão que vale ser destacada é que não é permitido tirar fotos enquanto estiver na passarela. Eles vendem as fotos a preços bem salgados no final do passeio. Mancada, né? 😂

Já a borda norte, o North Rim, em termos de vista é bem parecido com o South Rim. Pouca coisa menor, menos amplo. Mas ele fica aberto apenas entre os meses de maio e outubro (no inverno neva bastante nessa região e as estradas de acesso são fechadas). E é provavelmente por isso que ele é muito menos visitado. Ele também não fica nas proximidades de quaisquer cidades grandes ou turísticas. Está do lado de cima do Canyon, perto do estado de Utah. Por isso, o North Rim tem muito mais americanos que turistas estrangeiros. E a vantagem de lá é exatamente essa, menos muvuca e preços de hospedagem mais camaradas. A entrada no North Rim custa a mesma coisa que no South: $30 dólares por veículo, para um passe de 7 dias.

Bom pessoal, espero que tenham gostado do post. Se tiverem mais dicas ou alguma dúvida sobre o passeio ao Grand Canyon, deixem aí nos comentários =)

Té a próxima!

Saudade 😍
Saudade 😍

Administradora, eterna estudante, cozinheira nas horas vagas e viciada em maquiagem.